31 de maio de 2017

Novos testes, novas condenações, talvez novas sanções, a mesma ineficácia

 
Kim Jong-un continua a brincar aos soldadinhos perante a complacência e ineficácia da comunidade internacional.
Agora ao ritmo de um teste por semana o lunático norte-coreano continua a mostrar os seus misseis de médio alcance e a sua constante evolução.
Novos testes, agora com sucesso, tiveram como resultado uma vez mais um coro de vozes indignadas e a promessa de novas sanções de que será alvo o já completamente isolado regime norte-coreano.
A mesma retórica, a mesma condenação da atitude belicista do líder norte-coreano, agora em unanimidade (a China junta a sua voz ao coro dos indignados mas continua a mostrar-se pouco disposta a aplicar e a deixar aplicar fortes sanções ao vizinho norte-coreano), a mesma ineficácia em termos práticos.
Por muito que o Conselho de Segurança das Nações Unidas esperneie Kim Jong-un já demonstrou à saciedade que não irá refrear os seus ímpetos armamentistas.
Pelo contrário, de teste em teste, de míssil em míssil, o pequeno ditador vai ficando mais e mais perto de alcançar o seu objectivo - possuir tecnologia e armamento que possam atingir os seus inimigos e que possam assim funcionar como elemento dissuasor de alguma tentativa de eliminação física do impiedoso Kim Jong-un e do seu criminoso regime político por arrasto.
Muito provavelmente a única forma de deter a loucura do ditador norte-coreano e do seu regime por muito que isso possa chocar qualquer humanista.

Que imaginação!!





29 de maio de 2017

GALINHA REVOLTADA



Deus criou o mundo em 7 dias.
No sétimo dedicou-se a ouvir as reclamações.
A primeira a apresentar protestos foi a GIRAFA:
- Po, Deus! Que sacanagem é esta? Este meu pescoço enorme é ridículo!
- Calma, dona Girafa! Tudo foi muito bem pensado. Com esse pescoço comprido, além de a senhora poder comer as folhas mais tenras, do alto das árvores, vai poder perceber a aproximação do inimigo antes dos outros animais e assim se defender.
A girafa ouviu as explicações e ficou convencida de que Deus, afinal, tivera uma boa ideia.
Logo depois entrou o ELEFANTE, injuriado:
- Putis, Deus! Eu sou enorme de gordo e tenho esta tromba toda na minha cara. Isto é sacanagem!
Deus, pacientemente, explicou:
- Com esse tamanho todo, nem o Leão, que é o rei da selva, terá coragem de te enfrentar e, além do mais, graças a essa tromba, você é o único animal que pode tomar banho de chuveirinho...
O elefante ponderou e chegou à conclusão que Deus tinha razão.
O terceiro bicho da fila era a GALINHA, que já entrou metendo o pé na porta:
- NEM VEM COM EXPLICAÇÕES! 
OU AUMENTA O **, OU DIMINUI O OVO!!!

BOA SEMANA!
(Amanhã não há blogue. Barco Dragão em Macau, o blogue regressa na quarta-feira)

Papagaio de bordel


Uma senhora resolve um dia comprar um papagaio pois passa a maioria do tempo sozinha em casa, e precisava de companhia. Ela acha que cachorro faz muita sujeira e é muito barulhento.
Ela entra em uma loja e pergunta o preço do papagaio. Cinquenta Reais.
Ela não acha muito caro e compra o bichinho. 
Mas o dono da loja adverte:
- Esse papagaio pertencia a um Puteiro antes de compra-lo. Portanto ele fala algumas grosserias de vez em quando, mas é muito esperto.
Como a senhora estava determinada a comprar o papagaio ela leva o bicho e coloca-o em uma gaiola logo na entrada de sua casa.
O bicho olha em volta e depois olha para a senhora e diz:
- Nova Casa! Nova Cafetina!
A mulher fica um pouco espantada mas depois acha engraçado. As filhas da senhora chegam da escola e o papagaio diz:
- Nova Casa! Nova Cafetina! Novas Putas!
As meninas ficam espantadas mas a mãe explica o caso e elas acham engraçado.
O marido chega a noite, e o papagaio diz após olhar para ele:
- Nova Casa! Nova Cafetina! Novas Putas! 
Oi Francisco, trocou de Puteiro???!!!

Passarinho assassino


Um motociclista ia a 140 km/h por uma estrada e, de repente, deu de encontro com um passarinho e não conseguiu esquivar-se: PÁ!!! 
Pelo retrovisor, o cara ainda viu o bichinho dando várias piruetas no asfalto até ficar estendido. 
Não contendo o remorso ecológico, ele parou a moto e voltou para socorrer o bichinho. 
O passarinho estava lá, inconsciente, quase morto. 
Era tal a angústia do motociclista que ele recolheu a pequena ave, levou-a ao veterinário, foi tratado e medicado, comprou uma gaiolinha e a levou para casa, tendo o cuidado de deixar um pouquinho de pão e água para o acidentado.
No dia seguinte, o passarinho recupera a consciência.
 Ao despertar, vendo-se preso, cercado por grades, com o pedaço de pão e a vasilha de água no canto, o bicho põe as asas na cabeça e grita: 
- PU*A QUE O PARIU, MATEI O MOTOQUEIRO !!!

24 de maio de 2017

23 de maio de 2017

Mais um treinador de saída


As notícias mais recentes não surpreendem – Nuno Espírito Santo (NES) já não é o treinador da equipa de futebol do Futebol Clube do Porto (FCP).
A rescisão por mútuo acordo já é oficial e só vem formalizar aquilo que há já alguns dias se comentava nos bastidores do futebol português.
Mais uma aposta de Pinto de Costa que resulta num fracasso em toda a linha, mais uma fulanização de um problema que é muito mais estrutural do que inépcia ou incapacidade deste ou de outro treinador.
Se é verdade que NES foi sempre a cara do nervosismo, da tremedeira, sempre foi enfadonho na forma de comunicar e revelou uma incapacidade congénita de perceber as características dos jogadores e de consequentemente saber retirar dos mesmos o melhor rendimento, também não deixa de ser verdade que NES veio encontrar um FCP completamente perdido desde a saída de Vítor Pereira (com toda contestação, com plantéis menos valiosos que o Benfica, soube ser bicampeão).
Vítor Pereira ainda soube dar a volta  a uma situação que só aos mais distraídos terá passado despercebida – a mudança de paradigma do que foi um FCP de grandes conquistas desportivas para um perfil de um FCP mercantilista com resultados desportivos desastrosos.
O modelo de gestão que Pinto da Costa levou para o clube, e que tantos êxitos desportivos proporcionou (detecção de talentos no mercado interno, formação de jogadores que eram deixados rodar em clubes de confiança até estarem suficientemente maduros para entrarem na equipa principal, um scouting que permitia comprar pouco mas bom, a fazer diferença) foi abandonado dando lugar a um modelo mercantilista, a um FCP entreposto de jogadores ou abrigo de jogadores em fim de carreira.
E o principal responsável por essa mudança de estratégia, de paradigma, não é NES nem o foram os treinadores que o antecederam.
O principal responsável é claramente Jorge Nuno Pinto da Costa, há muito metido em embrulhadas particulares e desportivas que não lhe permitem pensar e dirigir o clube como deveria.
O mesmo Jorge Nuno Pinto da Costa que sempre se soube rodear de pessoas de sua inteira confiança e que agora se vê rodeado de comissionistas que vão enriquecendo à custa do clube.
NES abandona o FCP.
Tinha que ser entregue a cabeça de alguém depois de mais uma época desastrosa e de um final de época verdadeiramente penoso.
Mas o problema estrutural que coloca o actual FCP uns passos atrás do Sport Lisboa e Benfica tudo indica que se mantenha inalterado.
Sem uma alteração profunda dessa base estrutural, que obriga a uma revolução no interior do clube, a começar e a acabar nos órgãos dirigentes, a próxima época, seja qual for o treinador, será muito provavelmente mais do mesmo, same same but different.

As notícias na televisão (António Barreto)


É simplesmente desmoralizante. Ver e ouvir os serviços de notícias das três ou quatro estações de televisão é pena capital. A banalidade reina. O lugar-comum impera. A linguagem é automática. A preguiça é virtude. O tosco é arte. A brutalidade passa por emoção. A vulgaridade é sinal de verdade. A boçalidade é prova do que é genuíno. A submissão ao poder e aos partidos é democracia. A falta de cultura e de inteligência é isenção profissional.
.
Os serviços de notícias de uma hora ou hora e meia, às vezes duas, quase únicos no mundo, são assim porque não se pode gastar dinheiro, não se quer ou não sabe trabalhar na redacção, porque não há quem estude nem quem pense. Os alinhamentos são idênticos de canal para canal. Quem marca a agenda dos noticiáriossão os partidos, os ministros e os treinadores de futebol. Quem estabelece os horários são as conferências de imprensa, as inaugurações, as visitas de ministros e os jogadores de futebol.

Os directos excitantes, sem matéria de excitação, são a jóia de qualquer serviço. Por tudo e nada, sai um directo. Figurão no aeroporto, comboio atrasado, treinador de futebol maldisposto, incêndio numa floresta, assassinato de criança e acidente com camião: sai um directo, com jornalista aprendiza falar como se estivesse no meio da guerra civil, a fim de dar emoção e fazer humano.

Jornalistas em directo gaguejam palavreado sobre qualquer assunto: importante e humano é o directo, não editado, não pensado, não trabalhado, inculto, mal dito, mal soletrado, mal organizado, inútil, vago e vazio, mas sempre dito de um só fôlego para dar emoção! Repetem-se quilómetros de filme e horas de conversa tosca sobre incêndios de florestas e futebol. É o reino da preguiça e da estupidez.

É absoluto o desprezo por tudo quanto é estrangeiro, a não ser que haja muitos mortos e algum terrorismo pelo caminho. As questões políticas internacionais quase não existem ou são despejadas no fim. Outras, incluindo científicas e artísticas, são esquecidas. Quase não há comentadores isentos, ou especialistas competentes, mas há partidários fixos e políticos no activo, autarcas, deputados, o que for, incluindo políticos na reserva, políticos na espera e candidatos a qualquer coisa! Cultura? Será o ministro da dita. Ciência? Vai ser o secretário de Estado respectivo. Arte? Um director-geral chega.

Repetem-se as cenas pungentes, com lágrima de mãe, choro de criança, esgares de pai e tremores de voz de toda a gente. Não há respeito pela privacidade. Não há decoro nem pudor. Tudo em nome da informação em directo. Tudo supostamente por uma informação humanizada, quando o que se faz é puramente selvagem e predador. Assassinatos de familiares, raptos de crianças e mulheres, infanticídios, uxoricídios e outros homicídios ocupam horas de serviços.

A falta de critério profissional, inteligente e culto é proverbial. Qualquer tema importante, assunto de relevo ou notícia interessante pode ser interrompido por um treinador que fala, um jogador que chega, um futebolista que rosna ou um adepto que divaga.

Procuram-se presidentes e ministros nos corredores dos palácios, à entrada de tascas, à saída de reuniões e à porta de inaugurações. Dá-se a palavra passivamente a tudo quanto parece ter poder, ministro de preferência, responsável partidário a seguir. Os partidos fazem as notícias, quase as lêem e comentam-nas. Um pequeno partido de menos de 10% comanda canais e serviços de notícias.

A concepção do pluralismo é de uma total indigência: se uma notícia for comentada por cinco ou seis representantes dos partidos, há pluralismo! O mesmo pode repetir-se três ou quatro vezes no mesmo serviço de notícias! É o pluralismo dos papagaios no seu melhor!

Uma consolação: nisto, governos e partidos parecem-se uns com os outros. Como os canais de televisão.

22 de maio de 2017

ADIVINHE O TÍTULO DO FILME


Um casal não possui os braços e têm um filho.
Qual o nome do filme?
– Ninguém Segura Esse Bebê!

  
Cai um sino na churrasqueia.
Qual é o nome do filme?
– Assassino.

  
Um médico inventou um remédio que cura dores de cabeça antes delas acontecerem.
Qual o filme?
– O extermina-a-dor do futuro!

  
O “Cebolinha” e a “Mônica” foram ao cinema, na portaria o Cebolinha comprou dois chupas só para ele.
Qual é o nome do filme que eles foram assistir?
– Lambo 2!



Em um local onde só tinham pizzas, as de aliche foram expulsas pelas pizzas de ervilha.
Qual é o nome do filme?
– Aliche no país das más ervilhas

  
Um homem bebeu um Tang laranja e se atirou de cima da torre Eiffel.
Qual é o nome do filme?
– O último Tang em Paris!

  
Um homem tinha como profissão cuidar de ursos. Certo dia ele se aposentou.
Qual o nome do filme?
– O Ex-ursista!

  
Um homem entrou na sala de cinema quando tudo estava completamente escuro mas mesmo assim encontrou um lugar.
Qual é o nome do filme?
– O iluminado!


Um homem foi a um bar e sem ninguém ver colocou um copo na mochila.
Qual o nome do filme?
– Robo cop!


Um tênis afunda no meio do mar.
Qual é o nome do filme?
– Titanike!

  
BOA SEMANA!

18 de maio de 2017

Deputado Pearl Horizon?


Que a Assembleia Legislativa de Macau não é mais do que uma plataforma de defesa de interesses de grupos muito concretos já todos sabíamos.
Ainda assim de quando em vez ainda somos surpreendidos com a dimensão que este fenómeno consegue atingir.
Ver o líder da Associação de Proprietários do Pearl Horizon afirmar que se quer candidatar a um lugar de deputado, apresentando como plataforma “política” a defesa daqueles que adquiriram fracções na planta do empreendimento Pearl Horizon e que agora se vêem sem casa nem dinheiro, é sem dúvida um desses momentos.
A Assembleia Legislativa devia ser um espaço de discussão política e de políticas.
Em vez disso é um espaço de defesa de interesses particulares ou corporativos.
Dá pena assistir a esta subalternização do órgão legislativo em Macau.
E causa enfado e irritação assistir à teimosia ignorante de quem se recusa a perceber que tem que defender os seus legítimos interesses num outro órgão da estrutura tripartida de poderes desta Região Administrativa Especial.
Os tribunais, o poder judicial, evidentemente.

Intemporais (74)

17 de maio de 2017

A Coreia do Norte a testar os limites da paciência de Trump?


Empresas de segurança informática norte-americanas estão a ligar os ataques informáticos que fizeram espalhar o vírus ransomware um pouco por todo o Mundo a piratas informáticos norte-coreanos.
O vírus ransomware encripta os dados informáticos do utilizador e bloqueia o acesso aos mesmos até que seja pago um resgate aos piratas que desencadeiam estes ciberataques.
Mais do que os ataques em si mesmos, e os incómodos e malefícios que dos mesmos directamente resultam, confesso que me preocupa a crescente tensão entre os Estados Unidos e a Coreia do Norte que os mesmos representam.
Parece (oxalá não seja assim...) que os norte-coreanos estão a testar os limites da paciência norte-americana.
Um exercício que, a ser real, é muito arriscado quando na Casa Branca se senta um louco irresponsável.
O mesmo louco irresponsável que parece estar a recolher dados, provas, que justifiquem uma qualquer intervenção armada na Coreia do Norte.
Quando um doido varrido testa a paciência de um louco irresponsável fazendo tábua-rasa das sanções que lhe são impostas, repetindo testes com mísseis balísticos que se julga serem mais e mais sofisticados, ataca outros países por via informática e procura chantagear esses países no intuito de obter fundos que lhe permitam continuar a sua corrida armamentista, temos todos que ficar seriamente preocupados e pensar se os avisos do grupo Anonymous no sentido de estarmos à beira de um terceiro conflito a nível mundial, com norte-coreanos e norte-americanos como instigadores, não serão afinal demasiado reais para ser ignorados.

Japão esbanjando tecnologia

16 de maio de 2017

One Belt, One Road (OBOR), a nova Rota da Seda


A China tem em marcha a nova Rota da Seda, o projecto "One Belt, One Road" ("Uma Faixa, uma Rota"), OBOR na sigla inglesa.
A liderança chinesa deu pela primeira vez a conhecer estes seus planos no ano de 2013.
Desde então a estratégia tem sido consolidar e fazer crescer as ideias iniciais e o alargamento a novos países dispostos a aderir ao projecto chinês.
Por estes dias a capital chinesa recebe mais de vinte líderes mundiais que discutem entre si como ligar a Ásia, a Europa e a África através de novas rotas comerciais.
Um plano que envolve números brutais, quer em termos da população abrangida (cerca de 60% da população mundial), quer em termos de infra-estruturas já construídas e a construir, quer naturalmente em termos de montantes financeiros envolvidos em todo o projecto (o Banco Asiático para o Desenvolvimento como grande financiador de todo o projecto).
Mais do que um grande projecto comercial, esta Nova Rota da Seda encerra em si claramente uma estratégia de poder, de domínio político e económico a nível mundial.
Há muito ultrapassada a bipolaridade que caracterizou a liderança planetária durante os anos da Guerra Fria, os Estados Unidos passaram a apresentar-se como único líder da governança mundial. 
Chegou o momento de a China se apresentar disposta a assumir papel idêntico, concorrencial ou até mesmo alternativo ao americano.
Mais do que um mega-projecto comercial é esta estratégia económica e política que se discute nestes dias em Pequim.
O eixo do poder está a mudar da América para a Ásia, de Washington para Pequim.

A dimensão que extravasa a nossa imaginação

12 de maio de 2017

Humor no final da semana










Entretanto, na Madeira...

BOM FIM-DE-SEMANA!