28 de junho de 2017

Guerras no século XXI


Vivemos um tempo que conhece novas guerras, mais sofisticadas, com outras armas, que se disputam a par com as formas mais tradicionais de combate.
Desde ontem o Mundo está novamente sob ataque, mais uma vez sob ataque informático.
Uma nova guerra mundial, cada vez mais frequente, mais difícil de combater e com um inimigo sem rosto.
Mais um vírus informático, mais um ransomware, desta vez o Petya, em tudo similar ao célebre WannaCrypt.
O que estes poderosos vírus fazem é afectar indefinidamente todos os computadores onde se conseguem infiltrar, institucionais ou pessoais, restringindo o acesso dos usuários aos mesmos.
Acesso que só será completamente estabelecido se for pago um resgate a estes piratas.
Piratas que são invisíveis, que não fumam cachimbo ou usam pala no olho e perna de pau.
Uma vez que o resgate é pago normalmente em bitcoin é virtualmente impossível seguir o seu rasto até aos piratas que o exigiram.
Nem será preciso chamar a atenção para os potenciais perigos que esta situação encerra.
Que maneira mais fácil terão grupos terroristas, países economicamente isolados, de se financiar, do que este recurso à sabotagem e ao resgate?
Financiamento ainda para mais totalmente incógnito e virtualmente impossível de investigar.
A nova guerra, há muito temida e há muito falada, já está aí.
Não envolve o armamento tradicional, não se disputa no terreno.
Envolve as novas tecnologias, essenciais no dia-a-dia de particulares e empresas e disputa-se na realidade virtual que é o espaço informático.

No tempo da minha infância (Ismael Gaião)


Com um profundo agradecimento a todos os que me felicitaram no meu dia de aniversário deixo aqui um pouco de nostalgia em forma de poesia.
Abreijos