31 de julho de 2012

As notícias que envolvem a Sands China


Todos os dias a Sands China é mencionada no noticiário local (de falta de publicidade é que a empresa não se pode queixar!)
Na maioria das vezes, associada a grandes trapalhadas, a grandes polémicas.
Como já começa a ser maçador, estava capaz de sugerir uma inflexão total no paradigma noticioso que envolve a Sands China.
Passava a fazer-se referência apenas à falta de notícias que envolvessem a empresa.
Qualquer coisa do género - "E hoje, excepcionalmente, não temos conhecimento de qualquer notícia que envolva a Sands China em nenhuma embrulhada".
Isso sim, seria notícia.
Que tal?

O homem lapso (Ricardo Araújo Pereira)



Toda a gente devia ter o seu Miguel Relvas. Dá jeito em qualquer ocasião. Um estudante não sabe a resposta a uma pergunta e, para distrair o júri da oral, exibe um Miguel Relvas. Um gatuno entra numa casa e, para entreter os cães, atira-lhes um Miguel Relvas. Uma mulher é apanhada com o amante e, para desviar a atenção do marido, apresenta-lhe um Miguel Relvas.
Infelizmente, só o Governo tem o privilégio de ter um Miguel Relvas. E o Miguel Relvas do Governo é o melhor de todos os Miguéis Relvas. Trata-se de um Miguel Relvas que, além de conseguir desviar a atenção do que é mais importante no Governo, desvia a atenção do que é mais importante em Miguel Relvas. Miguel Relvas consegue ser Miguel Relvas de si mesmo. Por causa do que Miguel Relvas fez na Lusófona, já ninguém fala do que Miguel Relvas fez ao Público. E, no entanto, os casos relacionam-se em toda a sua esplendorosa relvice. Na altura em que foi confrontado com o facto de, em duas legislaturas seguidas, ter alegado frequentar o segundo ano do curso de Direito, quando na verdade tinha feito apenas uma cadeira do primeiro ano, Miguel Relvas disse que se tratava de um lapso. Quando constatou que a deliberação da ERC não referia a "pressão inaceitável" do ministro, o presidente do organismo disse que se tratava de um lapso. Um lapso a propósito de um homem que tinha incorrido em dois lapsos, com uma cifra final de lapsos que acaba por ascender a três. Esta salsada de lapsos passou sem reparo. É uma orgia de enganos. Um bacanal de equívocos. Uma ménage-a-trois de quiproquós. Merecia mais e melhor atenção.
No momento em que escrevo, Miguel Relvas ainda não se demitiu. Talvez no lapso de tempo que decorre entre a escrita deste texto e a sua publicação, ocorram outros lapsos que o obriguem a demitir-se. Mas não parece provável. Nem, devo dizer, necessário. Um número relativamente alargado de pessoas exige uma demissão, ignorando que já houve várias. Ricardo Alexandre deixou de ser director-adjunto da RDP, Maria José Oliveira deixou de ser jornalista do Público e Fernando Santos Neves deixou de ser reitor da Lusófona do Porto. Quase todos os envolvidos nestes casos abandonaram as suas funções, menos Relvas. A troika bem avisou que um dos problemas mais graves do País era a dificuldade de despedir gente na função pública. Agora é possível apostar, na internet, no momento que Relvas escolherá para se demitir. É dinheiro deitado à rua. O mais provável é que todo o povo português se demita antes de Miguel Relvas.

Coisas que se vão sabendo aos poucos... relvices


Publico como recebi.
Alguém pode confirmar o teor?

Questão:
Porque é que o PS é a única instituição que ainda não "massacrou" a questão da "Licenciatura" do "Dr" Miguel Relvas ?
 
Resposta:

É que o Dr António José Seguro foi um dos professores (da Universidade Lusófona) que ASSINOU a FALSA Licenciatura do Dr Miguel Relvas !

CAFÉ DA MANHÃ PELO MUNDO (7)

07. Café da manhã no Hawai


Finalmente, os anos 90 (7)

30 de julho de 2012

A vida sexual e a Coca - Cola



Depois de muitos anos, dois amigos encontram-se e conversam sobre as suas vidas, até que um pergunta:
"E como vai a tua vida sexual?"
"Como a Coca-Cola".
"Que beleza! Cheia de efervescência, não é verdade?"

"Nada disso! Antes era 'NORMAL'. Depois foi 'LIGHT' e agora é 'ZERO'!"


BOA SEMANA!!!

Disfunção eréctil já não é um problema....


Onde é que ela guardou a caixa de cerveja???

CAFÉ DA MANHÃ PELO MUNDO (6)


06. Café da manhã em Marrocos


Finalmente, os anos 90 (6)

27 de julho de 2012

Surpresa!!



Bom fim-de-semana!!

Homo politicus lusitanensis


Consciência pesada




Um casal dormia profundamente, como inocentes bebés...
De repente, lá pelas três horas da manhã, escutam ruídos fora do quarto.
A mulher se sobressalta e, apavorada, sussurra para o homem que dorme ao seu lado:
 - Aaaaaiiiiiii, meu Deus, deve ser o meu marido!!!

O homem levanta-se rapidamente e, pula todo nu pela janela.
Na queda, cai nos espinhos de uma roseira e, quando sai da roseira, cai sentado com o cu numa
moita cheia de urtigas.
Todo machucado e coçando mais que cachorro vagabundo cheio de pulgas, ele volta irritado e diz à mulher:
 - Sua louca, maluca, pirada do cacete... olha a merda que eu tô! Teu marido sou eu, pô!!!
 - Ah, é?!?!? E pulou a janela porquê?
Moral da historia:
"Consciência pesada é um problema sério, muito sério...

CAFÉ DA MANHÃ PELO MUNDO (5)


05. Café da manhã em Espanha


Finalmente, os anos 90 (5)

26 de julho de 2012

A revisão da legislação penal em Macau



Em qualquer país, em qualquer região, a legislação penal é provavelmente a que mais cuidados deve merecer no processo de elaboração e revisão.
Porque mexe profundamente com direitos, liberdades e garantias básicas dos cidadãos.
Como tal, essas tarefas devem ser entregues a especialistas, com formação académica e experiência profissional sólidas e comprovadas.
Cuidados especiais devem ser tomados quando se enceta a revisão de Códigos, mais ainda do que de na revisão de legislação avulsa.
Porque a revisão de um Código pode gerar ondas de choque que se reflectem ao longo de todo o sistema.
Ouvir os deputados da Assembleia Legislativa de Macau solicitar ajuda, e opiniões, de especialistas na área penal, é assustador.
Não são esses especialistas que estão encarregues do processo de revisão da legislação em curso?
Devia ser assim, não é?
Cidadãos comuns, com ou sem formação jurídica, darem uns palpites no processo de revisão de legislação penal?
Impensável e aterrador!

CAFÉ DA MANHÃ PELO MUNDO (4)


04. Café da manhã na Polónia


Finalmente, os anos 90 (4)

25 de julho de 2012

O que será uma notícia positiva sobre cheias?



Esta manhã ouvi uma notícia que me deixou intrigado - os censores chineses exigem aos meios de comunicação social do país que apenas dêem notícias positivas (sic) acerca das cheias que assolam algumas regiões do país.
Notícias positivas acerca de cheias que causam devastação e morte?
Que diabo será isso?
Algo do género - A população agradece ao governo a possibilidade de andar de barco na Praça de Tiananmen?!
Pois, deve ser isso.

CAFÉ DA MANHÃ PELO MUNDO (3)


03. Café da manhã em Cuba


Finalmente, os anos 90 (3)

24 de julho de 2012

Os efeitos do tufão Vicente em Macau

Macau ainda vive o rescaldo da passagem do tufão Vicente pelo território.
O tufão, que entrou em terra esta manhã, foi muito forte (sinal 9 em Macau e sinal 10 em Hong Kong, o que significa que bateu mesmo em cima das duas cidades) e deixou atrás muita destruição nos dois lados do Delta do Rio das Pérolas.
Ficam algumas imagens dos efeitos sentidos em Macau e a promessa de voltar ao vosso convívio com mais calma amanhã.









CAFÉ DA MANHÃ PELO MUNDO (2)


02.  Café da manhã no Irão


Finalmente, os anos 90 (2)

23 de julho de 2012

As férias e o cartão de visita de Macau

As férias correram, felizmente, muito bem.
Como sempre, souberam a pouco.

1



A aventura começou em Munique.
Uma cidade multicultural, muito bonita, muito limpa, muito ordenada, mas sem nunca ser opressiva, muito menos repressiva  (ao contrário do que se sente, por exemplo, em Singapura).
Cinco dias que passaram muito depressa e que deixaram muito boas memórias.



Ao terceiro dia, uma saltada a Salzburgo.
Um só dia, para fazer o circuito do filme Música no Coração (The Sound of Music) e que deixou uma forte vontade de voltar tal a beleza da paisagem que se contempla.
Com mais tempo, com mais disponibilidade, com mais atenção, definitivamente queremos voltar.


Seguiu-se Barcelona.
Cidade lindíssima, cheia de vida, vibrante, alegre, jovem, com uma arquitectura fenomenal e monumentos fascinantes.
La Sagrada Familia, então, é absolutamente deslumbrante.
Se há crise em Espanha, decididamente ainda não chegou a Barcelona.
Cinco dias que também passaram muito depressa e que deixaram vontade de repetir a visita.


Onde verdadeiramente senti a tão afamada crise foi em Coimbra.
Ver a Baixa da cidade com dezenas de lojas do chamado comércio tradicional fechadas, abandonadas, com as montras cobertas por cartão e jornais, mortas, as ruas quase desérticas, provoca um aperto na garganta, faz doer o coração.
O mesmo que senti na Figueira.
A rua do Casino, o Picadeiro, numa tarde ventosa de domingo, com tão pouca gente?
Onde é que estão a minha Baixa de Coimbra e a minha Figueira?
Quem as roubou?
Devolvam-mas se faz favor!!

De Portugal regressei com um sentimento misto.
Foi muito bom rever família e amigos, o sol, a luz, os lugares que já não visitava há muito tempo.
É essencial para o meu equilíbrio psicológico e emocional.
Mas não gostei nada de muitas coisas que vi e ouvi nos dez dias que lá estive.
Desde logo, o País anda obcecado com dois temas - a crise económica e a licenciatura do ministro Miguel Relvas.
Nas televisões, nos jornais, na rua, não se fala de mais nada.
A crise económica, que os portugueses sentem no seu dia a dia, é encarada numa perspectiva negativista, fatalista.
Só por uma vez, numa edição do programa Prós e Contras, vi uma abordagem positiva do tema, focada nos sinais, por ténues que sejam, de recuperação que se podem vislumbrar.
A licenciatura do ministro é um tema que já provoca náuseas.
Fala-se, fala-se, fala-se muito.
Resultados práticos?
O Reitor da Universidade pediu a demissão do cargo.
Vamos ficar por aqui?
Não me lixem!
Menos paleio e mais medidas concretas, por favor.

Verdadeiramente deprimentes são os panoramas político e televisivo.
No que se refere ao primeiro, um governo que toma medidas terríveis para a população, que se vê envolvido na trapalhada Relvas, consegue que os dois partidos que formam a coligação não desçam nas intenções de voto, nas sondagens.
Porquê?
Simplesmente porque não há oposição.
O PS, com um líder fraco, sem carisma, ainda não percebeu quando deve ser oposição e quando deve auxiliar no esforço de consolidação orçamental.
Muito menos se mostra minimamente como alternativa de poder.
O PCP continua a debitar o mesmo discurso sem sentido que debita há décadas, da mesma cartilha gasta, recusa-se a perceber que o País mudou, que o Mundo mudou.
O Bloco continua atarefado com "causas" que, em bom rigor, sobretudo quando as pessoas passam por dificuldades tão concretas e tão graves, parecem apenas interessar aos seus militantes.
E o PSD e o CDS, sem serem brilhantes, longe disso, vão mantendo uma imagem de credibilidade e rigor que os outros partidos não conseguem contestar ou beliscar.
Deprimente.

Verdadeiramente deprimente também é o panorama televisivo.
No período da manhã, e no horário nobre, a concorrência entre os vários canais gerou uma série de produtos o mais pimba que se possa imaginar.
Mas que contam com grandes audiências.
Muito semelhante, a concorrência a nível noticioso.
Quando se ouve uma jornalista(?) dizer que "Paco Bandeira foi condenado a três anos de prisão suspensa" (o que é que será prisão suspensa??) dá vontade de perguntar que raio de gente é esta que nem copiar o teor de uma sentença é capaz.

Os portugueses estão a habituar-se a um novo paradigma, a uma nova forma de vida, a viver com menos luxo e menos dinheiro.
E está, como seria de esperar, a ser muito complicado.
A criminalidade cresce, a insegurança, no presente e no futuro, também.
Melhores dias virão, estou plenamente convencido disso.

2



De regresso a Macau, uma desagradável surpresa - um voo de longo curso, da Lufthansa, sem entretenimento a bordo.
Doze horas num avião sem entretenimento a bordo?
Já não me lembrava da última vez que me aconteceu algo semelhante.

Algo surpreendente também (será?) o jetfoil em que viajámos.
Enquanto passava em vídeo imagens do fausto e da opulência ligados à jogatina, tinha uma fila, junto à janela, interdita aos passageiros, protegida por cordas, porque caía ali água como se estivesse a chover torrencialmente.
Chegada a Macau e a habitual imundice quando se sai do barco.
Essa já não surpreende.
Como não surpreende, infelizmente, o serviço patético, arcaico, de transporte de bagagens no Terminal Marítimo do Porto Exterior.
Para continuar na imundice, seguem-se as instalações sanitárias do Terminal Marítimo do Porto Exterior e quem as frequenta.
E, para não fugir à regra, os táxis.
As malas do veículo acumulam tanta porcaria que as bagagens não têm lugar para serem guardadas.
E vão penduradas por cordas, metade na mala do veículo, metade de fora.
Veículo que está decrépito, sujo, roto, remendado com fita cola, que é conduzido por um tipo feio, porco e mal educado que dizem ser taxista.
Inevitável perguntar - é este o cartão de visita da cidade que se diz que será um centro internacional de lazer e de jogo??!!
Boa merda, digo eu!

CAFÉ DA MANHÃ PELO MUNDO (1)


Os mais diversos Cafés da manhã pelo Mundo.
O café da manhã é tido como a refeição mais importante no dia em diferentes partes do mundo.
Planeta maravilhoso com suas tradições culinárias maravilhosas!

01. Café da manhã Inglaterra   


Finalmente, os anos 90 (1)

Regresso de férias, novas rubricas no blogue.
A começar com uma visita musical à década de 90, ao final do século XX.
Espero que se divirtam.