30 de novembro de 2010

Coisas que não deviam ser verdade....mas são.


Cheong Kuok Va, Secretário para a Segurança, durante a sessão de perguntas e respostas ontem na Assembleia Legislativa, terá afirmado que um número na ordem das 30000 pessoas, que pemaneçam ilegalmente em Macau, poderá ser considerado "razoável" (sic).
Inteiramente de acordo.
O que não será razoável será haver ainda mais de meio milhão de "legais" em espaço tão exíguo.
Bem vistas as coisas, mais 30000, menos 30000, a diferença também não é assim tão grande.

Coisas que podiam ser verdade.....mas não são.


Depois do jogo e da goleada de ontem, o Barcelona passou a ser conhecido como o Futebol Clube do Porto espanhol.

Puta madre no sean pendejos!!!

Consta que terá sido este o ralhete, audível, que Mourinho pregou aos seus jogadores após o jogo de ontem em Barcelona.
Os 5-0 com que os blaugrana brindaram os merengues constituem uma humilhação para a equipa madrilista.
A primeira derrota da equipa desde que passou a ser treinada por Mourinho (restam imbatíveis nos principais campeonatos europeus o Porto e o Manchester United).
A maior derrota que Mourinho sofreu na sua carreira de treinador.
A perda do primeiro lugar na liga espanhola.
A certeza que, na actualidade, o Barcelona é superior ao Real Madrid.
No que se refere ao jogo em si, como o próprio Mourinho afirmou, pouco há a dizer.
Mourinho apostou em Khedira, Xávi Alondo e Ozil para parar o terrível meio-campo do Barcelona.
Uma aposta que se revelou um desastre.
Os dois alemães andaram literalmente à deriva, a contemplar o rendilhado, o tiki-taka, dos geniais médios do Barcelona.
Cenário que em nada se alterou com a troca de Ozil por Lassana Diarra.
Para além de não parar o meio-campo do Barcelona, o meio-campo do Real Madrid também não alimentava os avançados da equipa.
Que, assim, ficava partida ao meio.
Lá na frente, um "tenrinho" Benzema fez com que Higuain (lesionado) fosse sempre recordado.
O argentino é mexido, lutador.
E fez muita falta esse poder de luta, de combate.
Ao contrário, no Barcelona, a um terrível Villa, juntou-se um deslumbrante Messi.
Também nos duelos particulares o Barcelona goleou.
Guardiola esteve muito melhor que Mourinho.
Messi esteve noutra galáxia face a Ronaldo.
Nota final para as atitudes estúpidas de Sérgio Ramos (já é hábito...) e para uma possível grande penalidade cometida por Valdés sobre Ronaldo.
Se fosse marcada, e convertida, o resultado passaria para 2-1.
E o jogo poderia ter outra história.
Mas até soa a sacrilégio escrever isto depois do recital que o Barcelona deu.


60 ANOS de casados...


ANIVERSÁRIO DE CASAMENTO
 
Um casal está a comemorar o 60º aniversário de casamento, com um jantar num pequeno restaurante no campo.

O marido inclina-se e pergunta à esposa:

- Querida lembras-te da nossa primeira vez, há sessenta anos? Nós fomos para a parte de trás do restaurante, tu apoiaste-te na cerca e...

- Eu lembro-me muito bem. - Respondeu ela.

- O que achas se o repetíssemos agora, em louvor aos velhos tempos?

- Oh, és um sátiro, mas parece-me boa ideia!

Um polícia sentado ao lado ouve a conversa e pensa:

Isto é que eu não posso perder:

Tenho que ver os cotas a fazer sexo, lá na cerca.

Eles saem e caminham até lá, apoiando-se um ao outro, ajudados por bengalas.

Chegam à cerca, a velha senhora ergue a saia, tira a calcinha, o velhinho baixa as calças

Ela agarra-se à cerca e começam a fazer sexo. De repente, explodem no sexo mais furioso que o polícia já tinha visto na vida.

Repetem dezenas de vezes. Ela grita, ele agarra os quadris dela, furiosamente. O sexo mais atlético possível e imaginável.

Finalmente caem exaustos no chão e, passada mais de meia hora deitados a recuperarem, os dois levantam-se, apanham as roupas espalhadas e vestem-se.

O polícia, ainda perplexo, ganha coragem, aproxima-se do casal e pergunta:

- Os senhores devem ter tido uma vida fantástica! Como é que conseguem?

Qual é o segredo dessa performance ideal?

- O velhinho com os cabelos eriçados e cara de estar no outro mundo responde:

Sei lá! Há sessenta anos esta cerca não estava electrificada...

Portugueses em 2012

Curto e Grosso

Loiríssimas

A TORCIDA

A loura estava tentando tirar a tampa da Coca-cola e não conseguia.

- Que inferno!

O dono do bar explicou:

- Você tem que torcer.

E a loura, batendo palmas:

- Vamos Tam-pi-nha! Vamos Tam-pi-nha!



Foto Reportagem da Cimeira da NATO em Lisboa (5)

A GOOD VARIETY OF STUPID FOTOS

Regresso ao anos oitenta (246)

29 de novembro de 2010

Afirmações que não consigo entender (a propósito da recepção a João Moutinho em Alvalade)


Talvez seja defeito meu, mas há afirmações que não consigo entender.
No rescaldo do jogo entre o Sporting e o Porto, Luís Sobral, jornalista do "MAISFUTEBOL", considera como positiva a recepção a João Moutinho em Alvalade.
Nestes termos:
"A recepção a João Moutinho, apesar de tudo. Houve maçãs, laser, insultos, assobios. É feio, sim. Mas não é grave. E quando se temia o pior, acabou por nem ser mau."
O mesmo jornalista que considera como aspectos negativos "As maçãs de Moutinho que foram parar a Helton" e "A agressão vergonhosa de Maniche a João Moutinho".
Ou seja, se bem entendo, maçãs atiradas a João Moutinho não constituem um problema.
Dão até algum colorido ao espectáculo.
Um tom pitoresco.
Já haverá problema se acertarem em Helton.
Por ser mais velho?
Se calhar é isso.
Talvez o brasileiro não aprecie aquele fruto.
Também pode ser.
E, já que estamos em maré de dúvidas, gostava de poder perguntar a Luís Sobral exactamente quais eram as suas expectativas neste regresso de João Moutinho a Alvalade.
Sim, porque para além de levar com maçãs, laser, insultos, assobios, ser agredido por Maniche, não consigo perceber muito bem o que mais esperaria Luís Sobral para condenar tais atitudes.
E classificar as mesmas como deploráveis.
Tiros de obus e lançamento de granadas??!!

Federer faz história


Roger Federer derrotou Rafael Nadal na final do Masters em Londres.
Com esta vitória, o genial tenista suíço igualou Sampras e Lendl com cinco vitórias no Masters.
Uma hora e trinta e sete minutos bastaram para Federer conseguir a vitória por 2-1 (6-3, 3-6 e 6-1).
Fica a sensação que Nadal se apresentou algo cansado depois do jogo com Murray e que Federer, o mais inteligente tenista que vi jogar, soube tirar partido desse cansaço.

Benfica e Braga ganham pontos a Porto e Sporting

O Benfica e o Braga ganharam ao Beira-Mar e ao Nacional, respectivamente, e ganharam pontos ao Porto e ao Sporting.
Em Aveiro, na ressaca da derrota em Telavive, o Benfica venceu o Beira-Mar por 3-1.
Cardozo foi a grande figura do jogo.
O paraguaio marcou dois golos, o segundo dos quais numa execução técnica excelente, e ofereceu o terceiro a Saviola.
O Benfica dominou o jogo, chegou com facilidade ao 3-0, mas tirou o pé do acelerador a partir daí.
Compreensivelmente.
Com Carlos Martins, Saviola e Cardozo em destaque, ainda houve espaço para verificar que há jogadores nos encarnados que estão muito abaixo do que produziram na época passada.
Javi Garcia, sem Ramires, é um jogador vulgar.
Luisão está preso de movimentos, pesado, aburguesado.
David Luiz e Fábio Coentrão estão claramente a pensar noutros voos, noutras paragens.
Nota-se a nervoseira dentro do campo.
E fora também.
O abandono intempestivo da conferência de imprensa por parte de Jorge Jesus não disfarça um certo mal-estar que se sente existir ao redor da equipa.
Mais importante, o Benfica está agora isolado no segundo lugar da classificação,  a oito pontos do Porto, e soma mais cinco que o Sporting e mais sete que o Braga.
Braga que também ganhou (2-0) na "Pedreira" a um abúlico Nacional.
Os madeirenses foram a Braga claramente à procura de um ponto, ao contrário do que afirmara o treinador, mas acabaram derrotados.
E com dois jogadores expulsos.
Castigo merecido para quem se preocupou exclusivamente em não deixar jogar.
Sem fazer um grande jogo, longe disso, o Braga mereceu a vitória e aproximou-se também do Porto e do Sporting.
Destaque positivo da jornada para a Académica, actualmente 5ª classificada.
Negativo, inteirinho para a Naval, claramente a equipa mais débil da Liga, ontem derrotada na Figueira pelo Rio Ave (1-0).

RADIOGRAFIA DA IMPRENSA PORTUGUESA - Como seria noticiada hoje em Portugal a história do Capuchinho Vermelho


NaTV portuguesa:

TELEJORNAL - RTP1

"Boa noite. Uma menina chegou a ser devorada por um lobo na noite de ontem... mas a actuação de um caçador evitou uma tragédia"

JORNAL DA NOITE - SIC

"Vamos agora dar-lhe conta de uma notícia de última hora. Uma menina foi literalmente engolida por um lobo quando se dirigia para casa da sua avó! Esta é uma história aterradora mas com um final feliz... o Sr. telespectador não vai acreditar mas, esta linda criança foi retirada viva da barriga do lobo! Simplesmente genial!"

JORNAL NACIONAL - TVI

"... onde vamos parar, onde estão as autoridades deste país?! A menina ia sozinha para a casa da avó a pé! Não existe transporte público naquela zona? Onde está a família desta menina? E a Comissão de Protecção de Menores? Tragicamente esta criança foi devorada viva por um lobo. Em épocas de crise, até os lobos, animais em vias de extinção, resolvem aparecer?? Isto é uma lambada na cara da actual governação portuguesa."

Na imprensa portuguesa:

CORREIO DA MANHÃ

"Governo envolvido no escândalo do Lobo"

JORNAL DE NOTICIAS

"Como chegar à casa da avozinha sem se deixar enganar pelos lobos no caminho"

Revista MARIA

"Dez maneiras de levar um lobo à loucura na cama"

LUX

"Na cama com o lobo e a avó"

EXPRESSO

Legenda da foto: "Capuchinho, à direita, aperta a mão do seu salvador".
Na reportagem, caixa com um zoólogo explicando os hábitos alimentares dos lobos e um imenso infográfico mostrando como Capuchinho foi devorada e depois salva pelo lenhador.

PÚBLICO

"Lobo que devorou Capuchinho Vermelho seria filiado no PS"

O PRIMEIRO DE JANEIRO

"Sangue e tragédia na casa da avozinha"

CARAS

Ensaio fotográfico com Capuchinho na semana seguinte:
Na banheira de hidromassagem, Capuchinho fala à CARAS: "Até ser devorada, eu não dava valor à vida. Hoje sou outra pessoa."

MAXMEN

Ensaio fotográfico no mês seguinte:
"Veja o que só o lobo viu"

SOL

"Gravações revelam que lobo foi assessor político de grande influência"

Fases do ensino em Portugal


1ª fase (antes de 1974): O aluno ao matricular-se ficava automaticamente chumbado. Teria de provar o contrário ao professor.

2ª fase (até 1992): O aluno ao matricular-se arriscava-se a passar.

3ª fase : O aluno ao matricular-se já transitou automaticamente de ano, salvo casos muito excepcionais e devidamente documentados pelo professor, que terá de incluir no processo, obrigatoriamente um "curriculum vitae" extremamente detalhado do aluno e nalguns casos da própria família.

4ª fase ( em vigor a partir de 2007): O professor está proibido de chumbar o aluno; nesta fase quem é avaliado é o próprio professor, pelo aluno e respectiva família, correndo o risco quase certo de chumbar...

Apetece acrescentar uma 5ª fase:

Os alunos que saibam escrever o seu nome sem erros, nem precisam matricular-se. Têm acesso directo ao Conselho de Ministros como consultores privados do 1º Ministro, equiparados a Chefe de Gabinete, com direito a subsídio de almoço e de transporte.

Loiríssimas


A TRAIÇÃO

Uma loira está preocupada, pois acha que o seu marido está tendo um caso.

Vai até uma loja de armas e compra um revólver.

No dia seguinte, ela volta para casa e encontra o seu marido na cama, com uma ruiva espectacular.

Ela aponta a arma para a própria cabeça. O marido pula da cama, implora e suplica para que ela não se mate.

Aos berros, a loira responde:

- Cala a boca, cretino...Você é o próximo!

Foto Reportagem da Cimeira da NATO em Lisboa (4)

A GOOD VARIETY OF STUPID FOTOS

Regresso aos anos oitenta (245)

28 de novembro de 2010

Empate em Alvalade, e derrota do Guimarães na Madeira, podem isolar Benfica no segundo lugar

O clássico de Alvalade deixou o Sporting definitivamente fora da corrida ao título.
O empate (1-1) é penalizador para os leões.
Aceitável para os dragões.
Num jogo que ficou marcado por várias curiosidades - três antigos jogadores do Porto no onze do Sporting (Pedro Mendes, Maniche e Postiga), contra três antigos jogadores do Sporting no onze do Porto (Moutinho, miseravelmente recebido em Alvalade, Emídio Rafael e Varela), o Sporting dominou a primeira parte do jogo, período no qual acabou por marcar o seu golo.
Um golo irregular, uma vez que Valdés, o marcador, estava em posição de fora-de-jogo quando recebeu a bola.
Rui Patrício chutou, Maicon falhou a intercepção, o árbitro e os auxiliares não viram a posição irregular do chileno, e Valdés marcou.
Já depois de Pedro Mendes ter atirado à barra e perante um Porto manietado pelo Sporting.
Para esse apagamento portista, vários factores contribuíram.
Uma grande dinâmica do trio de centro-campistas do Sporting, uma noite muito apagada de Fernando, algum sentido de desamparo do tridente ofensivo do Porto.
Factores que foram corrigidos ao intervalo e que levaram os portistas a empatar o jogo logo aos 57 minutos por Falcao.
Cresceram os dragões, encolheram-se os leões.
Até que Maicon, que já tinha falhado no golo do Sporting, cometeu um erro infantil.
Facilitou, perdeu a bola para Liedson, derrubou o luso-brasileiro e viu o vermelho directo (e terá perdido logo ali o lugar para Otamendi).
Villas-Boas mexeu na equipa, mas o Sporting teve novo ascendente no jogo.
Inconsequente, contudo.
Não foi um grande jogo.
Foi um jogo intenso, com casos, com polémica, duas expulsões (Maicon e Villas-Boas), com uma atitude deplorável dos adeptos do Sporting perante João Moutinho, que deixa o Sporting fora da corrida ao título, permite ao Benfica a possibilidade de ganhar em três campos e encurtar para oito pontos o atraso para o Porto.
Basta ganhar em Aveiro.
Isto porque, para além do empate em Alavalade, houve também ontem a derrota (2-0) do Guimarães na Madeira (Pedro Martins ganhou fôlego).
Já depois de, no sábado, a Académica ter ganho em Setúbal (1-0 que vale o quarto lugar).
Ontem ainda, o Paços bateu o Olhanense.
Também por 1-0.


As séries da minha vida (75)

Julgo que não poderia haver melhor maneira de encerrar esta rubrica.
A série hoje em destaque não é uma série no sentido clássico do termo.
Antes o melhor programa de informação exibido em televisão.
Desde 1968 - 60 Minutes.
Criado por  Don Hewitt, e produzido por Jeff Fager, 60 Minutes já ganhou 75 Emmys desde a estreia.
Ao longo de todos estes anos, muitos foram os nomes que passaram pelo programa, um dos de maior sucesso da cadeia CBS.
E muitos os que, por uma razão ou outra, o abandonaram.
Nos anos mais recentes, Mike Wallace, a maior estrela de 60 Minutes, o homem que entrevistou, e provocou, levou à irritação, alguns dos maiores nomes da política e do show bizz a nível mundial.
E Ed Bradley, vitimado por doença.
Os nomes de Morley Safer, Steve Kroft, Lesley Stahl, Bob Simon e Scott Pelley são recorrentes em 60 Minutes.
Mas há ainda, com alguma frequência, Charlie Rose, Lara Logan, Katie Couric, Anderson Cooper e Byron Pitts.
Já deixaram o programa, para além de Mike Wallace e Ed Bradley,  Dan Rather, Diane Sawyer, Meredith Vieira e Christiane Amanpour.
Mas mantém-se, desde 1978, com o seu humor cortante, Andy Rooney.
Sempre a fechar o programa.
Uma companhia indispensável todas as semanas.
Há já muitos anos.
Mike Wallace
 
Uma das últimas entrevistas de Ed Bradley. Com Tiger Woods.

Smartphone .... mais loiras

Loiríssimas

ESCUTANDO VOZES

O psiquiatra pergunta à loira:

- Costuma escutar vozes, sem saber quem está falando ou de onde vêm?

- Sim... Costumo!

- E quando é que isso acontece?

- Quando atendo o telefone!



 




Foto Reportagem da Cimeira da NATO em Lisboa (3)

A GOOD VARIETY OF STUPID FOTOS

Regresso aos anos oitenta (244)

27 de novembro de 2010

Um novo projecto editorial em língua portuguesa


Qualquer novo projecto editorial em língua portuguesa que surja em Macau é uma boa notícia.
O que se anuncia para breve é um semanário - Nova Gazeta Macaense.
O editor é Paulo Reis, cujo estilo de escrita é bem conhecido de quem lê habitualmente o Hoje Macau.
O Clarim, projecto jornalístico ligado à Igreja Católica, é, já desde há alguns anos, o único semanário em língua portuguesa que se publica em Macau.
Este novo projecto, até nesse particular (ser mais um semanário) desperta já algum interesse e curiosidade.
Dou aqui as boas vindas à Nova Gazeta Macaense.
Ficarei atento.
Para já, fica o espaço na blogosfera (aqui http://novagazetamacaense.blogspot.com/) com o link na barra ali ao lado.

As séries da minha vida (74)

Uma série genial hoje em destaque.
Há já muito tempo que o humor em televisão não produzia uma série tão brilhante - 30 Rock.
O humor começa logo no título.
30 Rock é a abreviatura de 30 Rockefeller Plaza, o edíficio onde se situam os estúdios da NBC, a cadeia que transmite a série.
A série é o produto da imaginação de Tina Fey, já visível em Saturday Night Live.
E ressuscita Alec Baldwin, há muito tempo envolvido em polémicas e longe das grandes criações de que é capaz.
Para além de revelar um impossível Tracy Morgan.
Com Tina Fey, Jane Krakowski, Tracy Morgan, Alec Baldwin, Jack McBrayer, Scott Adsit, Judah Friedlander,Katrina Bowden, Keith Powell, Lonny Ross, John Lutz, Kevin Brown, Grizz Chapman e Maulik Pancholy, 30 Rock é, desde o ano de 2006, uma série obrigatória.
Tracy Morgan e Alec Baldwin
Tina Fey

Chomsky e as dez estratégias de manipulação mediática



1- A ESTRATÉGIA DA DISTRACÇÃO .
 
O elemento primordial do controle social é a estratégia da distracção que consiste em desviar a atenção do público dos problemas importantes e das mudanças decididas pelas elites políticas e económicas, mediante a técnica do dilúvio ou inundações de contínuas distracções e de informações insignificantes.
 A estratégia da distracção é igualmente indispensável para impedir o povo de interessar-se pelos conhecimentos essenciais, na área das ciências, da economia, da psicologia, da neurobiologia e da cibernética. "Manter a atenção do público distraída, longe dos verdadeiros problemas sociais, cativada por temas sem importância real. Manter o público ocupado, ocupado, ocupado, sem nenhum tempo para pensar; de volta à quinta como os outros animais (citação do texto 'Armas silenciosas para guerras tranquilas')".
 
2- CRIAR PROBLEMAS, DEPOIS OFERECER SOLUÇÕES .
 
Este método também é chamado "problema-reacção-solução". Cria-se um problema, uma "situação" prevista para causar certa reacção no público, a fim de que este tenha a percepção que participou nas medidas que se deseja fazer aceitar. Por exemplo: deixar que se desenvolva ou se intensifique a violência urbana, ou organizar atentados sangrentos, a fim de que o público exija novas leis de segurança e políticas em prejuízo da liberdade. Ou ainda: criar uma crise económica para fazer aceitar como um mal necessário o retrocesso dos direitos sociais e o desmantelamento dos serviços públicos.
 
3- A ESTRATÉGIA DA GRADAÇÃO .
 
Para fazer com que se aceite uma medida inaceitável, basta aplicá-la gradualmente, a conta-gotas, durante anos consecutivos. É dessa maneira que condições socioeconómicas radicalmente novas (neoliberalismo) foram impostas durante as décadas de 1980 e 1990: Estado mínimo, privatizações, precariedade, flexibilidade, desemprego em massa, salários baixíssimos, tantas mudanças que teriam provocado uma revolução se tivessem sido aplicadas de uma só vez.
 
4- A ESTRATÉGIA DO DEFERIDO .
 
Outra maneira de se fazer aceitar uma decisão impopular é a de apresentá-la como sendo "dolorosa e necessária", obtendo a aceitação pública, no momento, para uma aplicação futura. É mais fácil aceitar um sacrifício futuro do que um sacrifício imediato. Primeiro, porque o esforço não é aplicado imediatamente. Segundo, porque o público - a massa - tem sempre a tendência a esperar ingenuamente que "tudo irá melhorar amanhã" e que o sacrifício exigido poderá vir a ser evitado. Isto dá mais tempo ao público para acostumar-se à ideia da mudança e de aceitá-la com resignação quando chegar o momento.
 
5- DIRIGIR-SE AO PÚBLICO COMO SE DE CRIANÇAS SE TRATASSEM
 
A maioria da publicidade dirigida ao grande público utiliza discurso, argumentos, personagens e entoação particularmente infantis, muitas vezes próximos da debilidade mental, como se cada espectador fosse uma criança de idade reduzida ou um deficiente mental. Quanto mais se pretende enganar ao espectador, mais se tende a adoptar um tom infantilizante. Porquê? "Se você se dirigir a uma pessoa como se ela tivesse 12 anos ou menos, então, em razão da sugestionabilidade, ela tenderá, com certa probabilidade, a dar uma resposta ou reacção também desprovida de um sentido crítico como a de uma pessoa de 12 anos ou menos de idade (ver "Armas silenciosas para guerras tranquilas")".
 
6- UTILIZAR MUITO MAIS O ASPECTO EMOCIONAL DO QUE A REFLEXÃO .
 
Fazer uso do discurso emocional é uma técnica clássica para causar um curto circuito na análise racional, e pôr fim ao sentido critico dos indivíduos. Além do mais, a utilização do registo emocional permite abrir a porta de acesso ao inconsciente para incutir ideias, desejos, medos e temores, compulsões, ou induzir comportamentos...
 
7- MANTER O PÚBLICO NA IGNORÂNCIA E NA MEDIOCRIDADE .
 
Fazer com que o público seja incapaz de compreender as tecnologias e os métodos utilizados para o seu controle e escravidão. "A qualidade da educação dada às classes sociais inferiores deve ser a mais pobre e medíocre possível, de forma que a distância da ignorância que paira entre as classes inferiores e as classes sociais superiores seja e permaneça impossível de eliminar (ver 'Armas silenciosas para guerras tranquilas')".
 
8- ESTIMULAR O PÚBLICO A SER COMPLACENTE NA MEDIOCRIDADE .
 
Promover no público a ideia de que é moda o facto de se ser estúpido, vulgar e inculto...
 
9- REFORÇAR A REVOLTA PELA AUTOCULPABILIDADE .
 
Fazer o indivíduo acreditar que é somente ele o culpado pela sua própria desgraça, por causa da insuficiência da sua inteligência, de suas capacidades, ou do seu esforço. Assim, ao invés de revoltar-se contra o sistema económico, o indivíduo autocritica-se e culpabiliza-se, o que gera um estado depressivo, do qual um dos seus efeitosmais comuns, é a inibição da acção. E, sem acção, não há revolução!

10- CONHECER MELHOR OS INDIVÍDUOS DO QUE ELES MESMOS SE CONHECEM .
 
No decorrer dos últimos 50 anos, os avanços acelerados da ciência têm gerado um crescente afastamento entre os conhecimentos do público e os possuídos e utilizados pelas elites dominantes. Graças à biologia, à neurobiologia e à psicologia aplicada, o "sistema" tem desfrutado de um conhecimento avançado do ser humano, tanto física como psicologicamente. O sistema tem conseguido conhecer melhor o indivíduo comum do que ele mesmo conhece a si mesmo. Isto significa que, na maioria dos casos, o sistema exerce um controle maior e um grande poder sobre os indivíduos do que os indivíduos sobre si próprios.

Foto Reportagem da Cimeira da NATO em Lisboa (2)

Loiríssimas

A EXTRAÇÃO DO RIM

A loira passeava pelo shopping quando, de repente, encontra uma velha

conhecida:

- Nossa, maravilhosa! Como você emagreceu!

- Pois é... Perdi quinze quilos! Tive de extrair um rim!

- Credo! Eu não sabia que um rim pesava tanto...

A GOOD VARIETY OF STUPID FOTOS

Marriage.... the philosophers choice...


Primeiro tipo (orgulhosamente): "A minha mulher é um anjo!"

O segundo: "Você é um sortudo, a minha ainda está viva..."

Anonymous

Regresso aos anos oitenta (243)

26 de novembro de 2010

Bom fim-de-semana!!






eu amo o meu trabalho! eu amo o meu trabalho! eu amo o meu trabalho!



Mas eu amo muuiito mais a SEXTA!!!!

Se isto não melhora VOU fazer greve de fome!!
... e só páro às refeições!

O menino Reboredo asiático


O menino Reboredo asiático é complexado, ridículo, mau, travesso, traquinas, mimado, mal educado, malcriado e demenciado.
Por ser muito pequenino, o menino Reboredo asiático é complexado.
E usa sempre sapatos com umas solas enormes, que esconde com calças muito compridas e com "boca de sino", e o cabelo todo puxado para cima.
Tudo para parecer mais alto.
Mas não fica mais alto.
Só fica (mais) ridículo.
Mas o menino Reboredo asiático não é só complexado e ridículo.
É mau.
Mesmo muito mau.
Porque é mau, e porque recebeu um país como recompensa dessa  maldade,  maltrata as pessoas que vivem nesse país.
Obriga-as a passar fome, nega-lhes cuidados de saúde, nega-lhes a existência de um Mundo moderno, conta-lhes uma História que inventou.
Uma História na qual é um líder.
Ainda para mais, querido.
Ele que é só um escroque.
Mas um escroque que vive em grande fausto, rodeado de riqueza, com um harém privado, com contas na Suíça, com todo o luxo que o dinheiro pode proporcionar.
Para além de complexado, ridículo e mau, o menino Reboredo asiático é travesso e traquinas.
Como todos os meninos travessos e traquinas, o menino Reboredo asiático quer atenção.
E, quando não lhe dão atenção, faz disparates.
Uma vez que também é mimado, e tem "brinquedos" que não devia ter, o menino Reboredo asiático usa esses "brinquedos" para chamar a atenção.
E, quando o faz, porque também é mal educado, malcriado e demenciado, torna-se perigoso.
Extremamente perigoso.
Para tornar todo este cenário ainda mais complicado, o "papá" do menino Reboredo asiático não dá uns tabefes ao menino quando ele se porta mal.
Nem deixa que outros dêem.
Nem mesmo um ralhete!
Só o adverte para não se portar mal.
Mas o menino Reboredo asiático, como todos os meninos complexados, ridículos, maus, travessos, traquinas, mimados, mal educados, malcriados e demenciados, volta a portar-se mal.
E só vai deixar de se portar mal quando, como todos os meninos  complexados, ridículos, maus, travessos, traquinas, mimados, mal educados, malcriados e demenciados, levar uns bons estalos.
Quando é que o "papá" estará disposto a dar-lhe esses estalos?
Ninguém sabe.
Até porque, como todos os "papás" de todos os meninos complexados, ridículos, maus, travessos, traquinas, mimados, mal educados, malcriados e demenciados, o "papá" do menino Reboredo asiático tem algum receio do que ele seja realmente capaz de fazer.
Porque não sabe ainda bem quais são os limites dos seus complexos, da sua maldade, das suas travessias, traquinices e demência.
Como acontece com todos os meninos complexados, ridículos, maus, travessos, traquinas, mimados, mal educados, malcriados e demenciados, o "papá" é grandemente culpado de o menino Reboredo asitático ser assim como é - complexado, ridículo, mau, travesso, traquinas, mimado, mal educado, malcriado e demenciado.

Terá sido gaffe?

Não, Sarah Palin não é loira.
Mas parece...

As séries da minha vida (73)

A série hoje em destaque misturava ficção científica, mistério, crime.
Todos investigados por um para de detectives do FBI que ficou na história da televisão - Fox Mulder (David Duchovny) e Dana Scully (Gillian Anderson) - The X-Files.
Exibida entre os anos de 1993 e 2002 na cadeia Fox, the X Files é uma criação de Cris Carter com uma ambiência muito próxima da de Twin Peaks.
Se a dupla de detectives ficou na memória colectiva, o mesmo aconteceu com algumas frases emblemáticas ( "The Truth Is Out There," "Trust No One," "I Want to Believe").
Com David Duchovny, Gillian Anderson, Robert Patrick, Annabeth Gish e Mitch Pileggi como principais protagonistas, The X-Files foi uma das séries que marcou o final do século em televisão.
Na memória, e no ouvido, ficou também esta música
Algumas imagens do par Mulder e Scully

Foto Reportagem da Cimeira da NATO em Lisboa (1)

Loiríssimas...


CORTINAS

Uma loira entra numa loja de cortinas e diz para o empregado:

- Por favor, eu queria umas cortinas para o monitor do meu computador!

O empregado, espantado, diz:

- Mas, minha senhora, os monitores não necessitam de cortinas. Diz a

loira,com ar de espertalhona:

- Helloooooooooooooooo?!?!?!?!......... Eu tenho o Windows!!!!!!!

Malaysian English

Never underestimate English of a Chinese man... You might like it.
Even an English man cannot construct sentences using numeric, which is exclusive only to Malaysians and Singaporeans.
Ah Lek was asked to make a sentence using 1, 2, 3, 4, 5, 6, 7, 8, 9,10. Not only did he do it 1 to 10, he did it again from 10 back to 1. This is what he came up with:

1 day I go 2 climb a 3 outside a house to peep. But the couple saw me, so I panic and 4 down. The man rushed out and wanted to 5 with me. I ran until I fell 6 and threw up. So I go into 7-eleven and grabbed some 8 to throw at him. Then I took a 9 and try to stab at him. 10 God he run away.

10 I put the 9 back and pay for the 8 and left 7-eleven. Next day I called my boss and told him I was 6. He said 5, tomorrow also no need to come back 4 work. He also asked me to go climb a 3 and jump down! I don't understand. I am so nice 2 him but I don't know what he 1.

A GOOD VARIETY OF STUPID FOTOS

Marriage.... the philosophers choice...


Um homem colocou um anúncio: "Esposa precisa-se".
No dia seguinte recebeu uma centena de cartas.
Todas elas diziam: "Pode ficar com a minha!"

Anonymous

Regresso aos anos oitenta (242)

Esperemos que não seja assim...

25 de novembro de 2010

As coisas "vareiam" muito depressa!


Quando era garoto, conhecia uns "maduros" que gostavam muito de me dizer - 'Pedro, as coisas "vareiam" muito depressa!'
Muitos anos depois, percebo finalmente o verdadeiro significado da expressão. 
Então não é que a língua portuguesa, que ainda há poucos dias, na cerimónia de abertura do ano judicial, era diabolizada, apresentada como causadora de todos os males, mãe de todos os atrasos, é agora, no debate sectorial das Linhas de Acção Governativa, a nóvel paixão dos senhores deputados?!
O que terá acontecido entretanto para justificar tão radical alteração?
O Festival de Gastronomia?
O Grande Prémio de Macau?
Nem houve nenhuma visita de um qualquer alto dirigente de Pequim a Macau, daqueles que puxam as orelhas (moucas) a quem se porta mal nem nada....
Que terá acontecido??
Realmente, razão tinham aqueles "maduros" - as coisas "vareiam" muito depressa!

Os jogadores do Benfica também aderiram à greve?

Em dia de greve geral em Portugal, a equipa do Benfica foi derrotada em Telavive por um fraquíssimo Hapoel Telavive.
O 3-0 final era um resultado impensável à partida para o jogo.
Terão os jogadores do Benfica aderido à greve ?
Deixemo-nos de conjecturas e vamos aos factos.
Facto:
O Benfica perdeu o jogo por 3-0.
Facto:
Com esta derrota, o Benfica fica afastado da próxima eliminatória da Liga dos Campeões.
Facto:
O Benfica fez 24 remates à baliza do Hapoel e dipôs de 21 cantos a favor. Mas não marcou golos.
Facto:
O Benfica sofreu três golos na sequência de lances de bola parada.
Facto:
Nesta edição da Liga dos Campeões, o Benfica perdeu os jogos todos realizados fora do Estádio da Luz.
Facto:
Mesmo o terceiro lugar, e a Liga Europa, não estão ainda assegurados.
Facto:
Em 18 jogos oficiais disputados desde o início da época, o Benfica já leva 8 derrotas.
Facto:
Deixar passar para a comunicação social o nome de possíveis contratações na reabertura do mercado não é boa política.
Depois dos factos, as análises, as opiniões.
Parece óbvio que esta equipa do Benfica está a anos-luz da equipa que tão bem jogava na época passada.
Há um grande défice de qualidade, uma dinâmica de jogo que é uma sombra da que era apresentada ainda há poucos meses, jogadores desmotivados, desnorteados, um treinador um pouco à deriva, contratações milionárias que ainda não provaram qualquer valor.
Um forte sintoma de orfandade resultante da perda de unidades nucleraes na equipa da época passada.
Resultado desta envolvência, num grupo que nem era complicado, o Benfica fez uma prova muito pobre.
Só uma hecatombe afastaria os encarnados da Liga Europa.
Mas esta surge como fraca consolação.
Sintoma dessa realidade, Luís Filipe Vieira abandonou o camarote presidencial quando o Benfica sofreu o segundo golo.
O cenário que aqui tinha deixado como possível, é agora bastante plausível - as quatro equipas portuguesas em prova nas competições europeias vão todas disputar a Liga Europa.
Se o Porto e o Sporting estão a cumprir na Liga Europa; se o Braga está a fazer uma boa prova no ano de estreia na Liga dos Campeões; o Benfica é uma desilusão completa.
E Jorge Jesus, que foi considerado um visionário, já terá o seu lugar em perigo.
Péssima estreia de Jesualdo Ferreira no Panathinaikos.
Derrota, em casa, com o Barcelona por 3-0.
E o adeus às competições europeias.
Messi marcou um golo.

Resultados e cenários nos vários grupos:

Grupo A

Inter-Twente, 1-0
(Cambiasso, 55)

Tottenham-Werder Bremen, 3-0
(Kaboul, 6; Modric, 45; Crouch, 79)

Cenário:
Tottenham apurado;
Inter apurado;
Twente na Liga Europa;

Grupo B

Hapoel Telavive-Benfica, 3-0
(Zahavi, 24 e 89; Douglas, 74)

Schalke-Lyon, 3-0
(Farfán, 13; Huntelaar, 20 e 89)

Cenário:
Schalke apurado;
Lyon apurado;
Benfica (6 p) e Hapoel (4) decidem Liga Europa;

Grupo C

Glasgow Rangers-Man. United, 0-1
(Rooney, 86 g.p.)

Valência-Bursaspor, 6-1
(Mata 17 gp; Soldado, 21 e 55; Aduriz, 30; Joaquín, 37; Dominguez, 78) (Batalla, 69)

Cenário:
Man. United apurado;
Valência apurado;
Rangers na Liga Europa;

Grupo D

Rubin Kazan-FC Copenhaga, 1-0
(Noboa, 45 g.p.)

Panathinaikos-Barcelona, 0-3
(Pedro, 27 e 69; Messi, 62)

Cenário:
Barcelona apurado em 1º lugar;
Copenhaga (7 p) e Rubin Kazan (6) ainda na corrida pelo 2º lugar;
Panathinaikos é 4º.

Grupo E

Roma-Bayern Munique, 3-2
(Borriello, 49; De Rossi, 81; Totti, 84 g.p.)(Gomez, 33 e 39)

Basileia-Cluj, 1-0
(Almerares, 15)

Cenário:
Bayern, já apurado no primeiro lugar.
Roma apurada no último dia se pontuar ou se o Basileia não ganhar.
Basileia garante Liga Europa e pode ser segundo se ganhar e a Roma perder.
Cluj é 4º.

Grupo F

Spartak Moscovo-Marselha, 0-3
(Valbuena, 18; Rémy, 54; Brandão, 68)

Chelsea-Zilina, 2-1
(Sturridge, 51; Malouda, 86) (Bello, 19)

Cenário:
Chelsea (1º) e Marselha (2º) apurados.
Spartak (3º) na Liga Europa.

Grupo G

Ajax-Real Madrid, 0-4
(Benzema, 36; Arbeloa, 44; C. Ronaldo, 70 e 81 g.p.)

Auxerre-Milan, 0-2
(Ibrahimovic, 65; Ronaldinho, 90)

Cenário:

Real Madrid (1º) e Milan (2º) apurados.
Ajax e Auxerre decidem Liga Europa.

Grupo H

Sp. Braga-Arsenal, 2-0
(Matheus, 83 e 90)

Partizan-Shakhtar, 0-3
(Stepanenko, 53; Jadson, 60; Eduardo, 68)

Cenário:
Nenhuma equipa apurada.
Shakhtar só precisa de um ponto.
Sp. Braga tem de golear na Ucrânia, ou fazer melhor no último dia do que o Arsenal.
O Arsenal só precisa de fazer resultado idêntico ao Sp. Braga.

As séries da minha vida (72)

A série em destaque hoje pode ser apresentada como o clássico exemplo de uma série que se prolongou por demasiado tempo.
Com esse prolongamento, perdeu grande parte da sedução que a celebrizou - ER.
A acção concentra-se agora nas emergências de um hospital em Chicago.
Exibida entre 1994 e 2009 no canal NBC, ER foi criada por Michael Crichton e tinha argumento de David Zabel, Joe Sachs, John Wells, R. Scott Gemmill, Jack Orman e Lydia Woodward.
Sob a direcção de Christopher Chulack, Jonathan Kaplan e Richard Thorpe, passou pela série, nas 15 temporadas que esteve no ar, uma galeria de actores imensa - Anthony Edwards, George Clooney, Sherry Stringfield, Noah Wyle, Eriq La Salle, Julianna Margulies, Gloria Reuben, Laura Innes, Maria Bello, Alex Kingston, Kellie Martin, Paul McCrane, Goran Visnjic, Michael Michele, Erik Palladino, Ming-Na, Maura Tierney, Sharif Atkins, Mekhi Phifer, Parminder Nagra, Linda Cardellini, Shane West, Scott Grimes, John Stamos, David Lyons e Angela Bassett.
Se tivesse acabado antes, teria ficado na história da televisão de um ponto de vista positivo.
Assim, fica apenas como uma série que só terminou em acentuado declínio.
Faltam três séries para acabar esta rubrica.
A de amanhã, com uma famosa dupla de investigadores do FBI; a de sábado, uma série de humor que tem ganho prémios quase todos os anos; para finalizar, um programa de informação.
Tentem adivinhar.
O par romântico da série (George Clooney e Julianna Margulies)
O final com um elenco totalmente renovado